Qual a primeira coisa que te vem à cabeça quando vê essa palavra? Diferentemente do que alguns podem imaginar, a arte do hentai tem um significado bem mais profundo do que a definição mais conhecida dele. Você sabia?

Origem:

A palavra japonesa hentai é composta por dois kanjis: hen que significa “mudança” ou “estranho”; e tai cujo significado é “atitute”, “aparência”; portanto o vocábulo serve para indicar um comportamento diferente do costumeiro. O termo é, na verdade, uma contração da expressão hentai seiyoku, que significa “perversão sexual” e quando utilizado como gíria expressa o ato sexual em condições extremas ou bizarras, em relações heterossexuais ou homossexuais.


No oeste do Japão, a palavra tem conotação negativa e é utilizada para fazer referência à animes ou mangás cujo tema principal seja o sexo explícito. Saiba que no Japão, o termo não é associado à pornografia, sendo utilizadas as classificações 18-kin (“proibido para menores de 18″) ou seijin manga (“mangá adulto”) para designar este tipo de leitura.
Hentai vs H (etchi)
Se você digitar hentai em uma ferramenta de busca qualquer notará cerca de 60 milhões de resultados! Quase o dobro de resultados para as palavras japonesas mais comuns, como samurai, sushi e gueixa. Mas ao que se deve esse número surpreendente e qual o motivo de tanta popularidade?
Isso se deve ao fato de que o uso da palavra hentai para qualquer anime/mangá com referências eróticas/sexuais é uma inovação especificamente americana. Em japonês, o vocábulo serve somente para referenciar material sexual de conteúdo forte, extremo, anormal ou perverso; já os termos “etchi” (pronúncia japonesa da letra H) e ero (erótico) são utilizados para referenciar material cujo conteúdo é simplesmente sexual. Ou seja, para os japoneses hentai é uma subcategoria das publicações ero, enquanto para os americanos o termo tornou-se um gênero para todos os tipos de publicações de ilustrações sobre sexo!